Redacção

O colectivo da Redacção domingo escolheu o Banco de Moçambique (BM) como “figura do ano” na vertente económica devido ao seu esforço para a estabilização dos indicadores macroeconómicos - inflação e taxa de câmbio do Metical face ao dólar norte-americano - e monitoria da recapitalização do Moza Banco, cujo colapso teria um efeito contágio para todo sistema financeiro.

Em Novembro do ano passado a inflação atingiu o pico de 27 por cento, depois da estabilidade que se vinha registando nos anos anteriores. Este indicador acabou baixando graças às medidas restritivas de política monetária tomadas até finais de 2016 e que se repercutiram na apreciação da taxa de câmbio e na redução dos agregados de moeda, os quais, conjugados com a baixa procura interna, contribuíram para a desaceleração da inflação.

Em Março o país mantinha a trajectória de desaceleração da inflação, situando-se em 4,3 por cento, contra os anteriores 6,1 em igual período de 2016, o que indicava que estava em linha com o esperado.

Na altura, o BM disse que a dinâmica da inflação era justificada, principalmente pelo efeito combinado das medidas de política monetária, num cenário de agravamento do risco fiscal, que se reflectiram na contínua apreciação do Metical, traduzindo-se num menor custo dos produtos importados, num contexto em que a procura interna permanecia fraca.

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 58,6 59,76
ZAR 4,06 4,14
EUR 67,41 68,76

21.08.201Banco de Moçambique