O Centro Hípico de Maputo tem dificuldades de ter mais praticantes, perdendo gradualmente a sua performance na região austral de África. Mesmo assim, há gente que se dedica para que o local volte a ser um destino preferencial dos que seguem o desporto dos cavalos.

O Centro Hípico existe desde o tempo colonial, foi criado por iniciativa de um militar de cavalaria. Era durante anos o lugar de socialização e mundanismo para a alta sociedade colonial.

O local já foi referência na região e, nas suas competições, participavam cavaleiros de países vizinhos, assim como da Europa. As últimas competições internacionais deram-se entre os anos de 1995 e 1997, onde participaram cavaleiros profissionais da África do Sul, Portugal e Espanha.

Durante as provas, os competidores buscavam cavalos na África do Sul, porque Moçambique não dispõe de cavalo para competições profissionais de nível internacional.

Este cenário ainda se verifica actualmente, e também faltam cavaleiros profissionais. Neste momento, tem apenas 10 cavaleiros, na sua maioria estrangeiros, e todos são amadores. Estes juntam-se nos tempos livres, sobretudo, aos sábados e domingos, para realizar treinos ou competições.

Contudo, até na década 90, o Centro Hípico contava com pelo menos 70 alunos e dezenas de cavaleiros. As inscrições para o ingresso eram feitas quase todos os meses. Portanto, na altura a procura era maior.

Nesse período, o centro funcionava com 45 cavalos, dos quais 25 da instituição e os restantes de particulares.

Texto de ABIBO SELEMANE

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 160 visitante(s) ligado(s) ao Jornal