Dulúcya Cassamo trouxe-se a público, há dias, na cidade de Maputo, um livro composto por 98 textos poéticos, cujo tútulo é "Códigos do Fogo". Trata-se de textos compostos por uma, duas ou três estrofes e que abordam vários assuntos, com maior destaque para o amor e sociedade.

Dulúcya é a nova e pequena escritora moçambicana. Tem 13 anos de idade e é aluna da 9.ª classe na Escola Primária/Secundária SOS Herman Gmeiner. Coincidência ou não, o livro sai numa altura em que as crianças celebram o seu mês, por ocasião do dia 1 de Junho (Dia Internacional da Criança) e 16 de Junho (Dia Internacional da Criança Africana).

"Código do Fogoé o primeiro livro de Dulúcya que vem inspirado na beleza do mundo, olhando para o lado positivo. No entanto, os pais da pequena Dulúcya afirmam que ela está ainda a juntar outros contos e poemas que poderão ser publicados nos próximos tempos.

No total, "Código do Fogo" tem 98 páginas. Numa primeira fase, foram impressos apenas 500 exemplares. Ainda no presente mês haverá o segundo lançamento na cidade da Beira, e ainda sem uma data prevista será feito outro lançamento na cidade de Quelimane.

Os poemas que constam no Códigos do Fogo vinham sendo escritos desde o ano de 2017, altura em que decidiu que tinha de transmitir os seus sentimentos em palavras.

Conta-se que antes de revelar que estava a escrever surpreendeu, ainda em 2017, os seus pais quando lhes pediu para declamar alguns versos da sua autoria. Os pais aceitaram o pedido.

Na altura, explicou-lhes que tinha escrito 26 poemas. A escrita foi a sua segunda paixão, a primeira foi a música. Actualmente, sente-se mais completa, pois consegue transmitir tudo o que lhe vai na alma através da escrita.

A cerimónia de lançamento da obra contou com a presença da Ministra da Educação e Desenvolvimento Humano, Conceita Sortane, para além de membros da direcção da educação da cidade de Maputo.

Leia mais...

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 265 visitante(s) ligado(s) ao Jornal